terça-feira, 31 de agosto de 2010

CEF responde ao Estadão

NOTA DA CAIXA

Em relação à matéria "Minha Casa Minha Vida deixa de lado quem ganha menos" (30/08), a Caixa Econômica Federal esclarece que as informações publicadas, atribuídas ao vice-presidente de Governo da CAIXA, Jorge Hereda, não correspondem nem ao que foi dito durante a entrevista e nem à realidade. Ao contrário, as famílias com renda familiar de 0 a 3 salários mínimos são, sim e prioritariamente, atendidas pelo Programa, conforme dados abaixo:

- Até o dia 27/08, 610 mil unidades habitacionais foram contratadas pelo Programa Minha Casa Minha Vida. Dessas, 376,6 mil, ou seja, mais de 60% dos imóveis, atendem famílias na faixa de renda de 0 até 3 SM – sendo 282,1 mil com recursos do Fundo de Arrendamento Residencial (FAR), e 94,5 mil com outras modalidades de financiamento. Trata-se do maior volume de recursos já aplicados e a maior quantidade de unidades de um programa habitacional no país voltado para aquela faixa de renda.

- Em uma análise sobre o orçamento, constata-se que já foram contratados mais de 82% de todo o recurso de R$ 14 bilhões destinado a atender exclusivamente as famílias de 0 a 3 SM. Ou seja, o orçamento total para essa faixa de renda da população já está em fase final de contratação, devendo ser aplicado totalmente durante já este mês de setembro.

- Para famílias também com renda até 3 SM, que podem contratar financiamento com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), contando com subsídio direto que permite o acesso a moradias ofertadas pelo mercado, a quantidade contratada também já supera 94,5 mil unidades habitacionais, correspondendo a mais de R$ 3,76 bi em financiamentos. Isso só foi possível graças à subvenção que famílias receberam do governo.

- O valor de subsídio, citado no item anterior, concedido exclusivamente para o público de até 3 SM que contratou financiamento direto ou para aquisição na planta de uma moradia, passa de R$ 1,49 bi. Esse número, além de constituir o maior valor dessa natureza na história já alocado para acesso a moradia no Brasil, demonstra que o MCMV achou a modelagem orçamentária adequada para suprir as necessidades dessa faixa de renda e também para as famílias com renda até 6 SM.

- O MCMV foi lançado em março/2009 e as propostas começaram a ser entregues à CAIXA em abril/2009. Transcorrido pouco mais de um ano, o número de unidades que chegaram ao cliente final até 31/07 é de 3.588, na faixa de 0 a 3 SM. Construir um empreendimento habitacional, independente da faixa de renda, não acontece como um passe de mágica; ele tem que ser edificado. Assim, o número de entregas está absolutamente de acordo com o prazo de construção de um empreendimento habitacional, que varia entre 12 e 24 meses em função da quantidade de unidades, da especificação dos imóveis e até de condições climáticas, dentre outros fatores. Ou seja, as entregas começam a acontecer, de fato, ao final deste semestre e ao longo de 2011. Não há, nem deveria mesmo haver, expectativa diferente.

Por fim, reforçamos que a matéria, ao afirmar em seu título e em seu lead que o MCMV "deixa de lado quem ganha menos" e que "tem dificuldades em atender as famílias de até três salários mínimos", oferece ao leitor uma interpretação duplamente equivocada. As informações acima, todas prestadas à repórter, deixam bem claro que o foco do Programa é atender famílias de menor ou nenhum poder aquisitivo, de forma prioritária, além de visar também àquelas de renda de até 6 SM e até 10 SM, cumprindo a meta estabelecida pelo governo federal.

Assessoria de Imprensa

Caixa Econômica Federal
Do blog de luisnassif, ter, 31/08/2010 - 11:38

Financiamento no segmento de alto padrão

Bancos acirram briga no crédito para imóvel de alto padrão
Para evitar concorrer com a Caixa, instituições investem no nicho, que responde por 15% do mercado de financiamento imobiliário


O empresário Leandro Cardoso de Almeida foi ao shopping em dezembro do ano passado e saiu com uma carta de crédito imobiliário na mão. Na loja da BM Sua Casa no shopping West Plaza, em São Paulo, ele financiou seu segundo imóvel, uma casa dentro de um condomínio. Almeida não conhecia a financeira, mas procurava novas opções. Depois de comprar seu primeiro apartamento com crédito da Caixa Econômica, banco que lidera o segmento, o empresário priorizou a agilidade em vez da taxa de juros na segunda compra. "Na Caixa, o meu financiamento levou mais de quatro meses para sair. Desta vez, não quis ter dor de cabeça."

Assim como Almeida, outros clientes de média e alta renda priorizam a qualidade do atendimento e a velocidade na hora de financiar um imóvel. Apesar de representar a menor parte dos contratos – de cerca de 15% do total, o que corresponde a um mercado de cerca de R$ 10 bilhões a R$ 15 bilhões -, bancos privados e financeiras promovem uma disputa acirrada por esse público-alvo.

Entre 2010 e 2016, as classes A e B demandarão, em média, 230 mil unidades por ano, número seis vezes menor do que a demanda da classe C, de quase 1,5 milhão de imóveis ao ano, de acordo com estimativas da consultoria MB Associados.

Investimentos em melhorias de processos internos e capacitação de pessoal para atender os clientes de alta renda estão entre as principais armas dessas instituições financeiras. Segundo elas, os esforços valem a pena dado o potencial de crescimento do segmento habitacional.

“Estimamos um avanço de 40% neste ano e nos próximos”, diz Jaime Chiganças, superintendente de crédito imobiliário do HSBC. Nos cálculos da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), a expansão esperada para os empréstimos feitos com recursos da poupança e do FGTS é de 53% em 2010, um salto de R$ 49,6 bilhões para R$ 76 bilhões.

Agência do Bradesco em São Paulo; bancos privados buscam expansão em crédito imobiliário
Leia também:

* Caixa amplia crédito para imóveis de alto padrão
* BB tem R$ 7 bi para crédito imobiliário
* HSBC estima alta de 40% no crédito imobiliário
* Caixa pode se capitalizar para expandir crédito
* Poupança pode não suportar alta do crédito habitacional em 2013
* Bradesco amplia previsão de crédito imobiliário em R$ 1 bi
Marina Gazzoni e Olívia Alonso, iG São Paulo | 31/08/2010 05:22

domingo, 29 de agosto de 2010

Cientista brasileiro descobre como coletar energia do ar

Redação do Site Inovação Tecnológica - 25/08/2010
Cientista brasileiro descobre como coletar energia do ar
Fernando Galembeck, da Unicamp apresentou suas descobertas históricas hoje (25) durante a reunião da American Chemical Society (ACS), em Boston, nos Estados Unidos.


Alimentar casas e fábricas com eletricidade coletada diretamente do ar pode ser possível: cientistas brasileiros resolveram um enigma científico que durava séculos sobre como a umidade na atmosfera torna-se eletricamente carregada, abrindo caminho para seu aproveitamento.

Imagine dispositivos capazes de capturar a eletricidade do ar e usá-la para abastecer residências ou recarregar veículos elétricos, por exemplo.

Da mesma forma que painéis solares transformam a luz do Sol em energia, esses painéis futurísticos poderão coletar a eletricidade do ar - a mesma eletricidade que forma os relâmpagos - e direcioná-la de forma controlada para alimentar qualquer equipamento elétrico, nas casas e nas indústrias.

Se isso parece revolucionário demais, mais entusiasmante ainda é saber que a descoberta que poderá tornar esses sonhos uma realidade foi feita por um cientista brasileiro.

O professor Fernando Galembeck, da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) apresentou suas descobertas históricas hoje (25) durante a reunião da American Chemical Society (ACS), em Boston, nos Estados Unidos.

"Nossa pesquisa pode abrir o caminho para transformar a eletricidade da atmosfera em uma fonte de energia alternativa para o futuro," disse Galembeck. "Assim como a energia solar está liberando algumas residências de pagar contas de energia elétrica, esta nova e promissora fonte de energia poderá ter um efeito semelhante."

Eletricidade atmosférica

A descoberta do professor Galembeck parece resolver um enigma científico que já dura séculos: como a eletricidade é produzida e descarregada na atmosfera.

No início da Revolução Industrial, os cientistas perceberam que o vapor que saía das caldeiras gerava faíscas de eletricidade estática - trabalhadores que se aproximavam dos vapores eram frequentemente atingidos pelos choques elétricos.

Mas essa eletricidade se forma também em locais mais amenos, quando o vapor de água se junta a partículas microscópicas no ar, o mesmo processo que leva à formação das nuvens - é aí que começam a nascer os relâmpagos.

Nikola Tesla ficou famoso pelas suas tentativas de capturar e utilizar essa eletricidade do ar, tentativas infelizmente nem sempre bem-sucedidas.

Mas, até agora, os cientistas não tinham um conhecimento suficiente sobre os processos envolvidos na formação e na liberação de eletricidade a partir da água dispersa pela atmosfera.

"Se nós soubermos como a eletricidade se acumula e se espalha na atmosfera, nós também poderemos evitar as mortes e os danos provocados pelos raios," estima Galembeck.

Higroeletricidade

Os cientistas sempre consideraram que as gotas de água na atmosfera são eletricamente neutras, e permanecem assim mesmo depois de entrar em contato com as cargas elétricas nas partículas de poeira e em gotículas de outros líquidos.

Mas o professor Fernando Galembeck e sua equipe descobriram que a água na atmosfera adquire sim uma carga elétrica.

O grupo brasileiro confirmou essa ideia por meio de experimentos de laboratório que simulam o contato da água com as partículas de poeira no ar.

Eles usaram minúsculas partículas de sílica e fosfato de alumínio - ambas substâncias comumente dispersas no ar - para demonstrar que a sílica se torna mais negativamente carregada na presença de alta umidade, enquanto o fosfato de alumínio se torna mais positivamente carregado.

"Esta é uma evidência clara de que a água na atmosfera pode acumular cargas elétricas e transferi-las para outros materiais que entrem em contato com ela," explicou Galembeck. "Nós a chamamos de higroeletricidade, ou seja, a eletricidade da umidade."

Coletores de energia do ar
Cientista brasileiro descobre como coletar energia do ar
Painéis para capturar a energia higroelétrica poderão ser colocados no topo dos prédios para drenar a energia do ar e impedir o acúmulo das cargas elétricas que são liberadas na forma de raios. [Imagem: Martin Fischer]

No futuro, segundo Galembeck, poderá ser possível desenvolver coletores - similares às células solares que coletam a luz solar para produzir eletricidade - para capturar a higroeletricidade e permitir seu uso em residências e empresas.

Assim como as células solares funcionam melhor nas regiões mais ensolaradas do mundo, os painéis higroelétricos vão funcionar de forma mais eficiente em áreas com alta umidade, uma característica das regiões tropicais, Brasil incluído.

Alta umidade significa altos níveis de vapor de água no ar - um vapor que se torna visível ao se condensar e embaçar os vidros do carro, por exemplo, e cuja baixa intensidade incomoda tanto nos dias secos de inverno.

Galembeck afirmou em sua apresentação que uma abordagem semelhante poderia ajudar a prevenir a formação de raios. Ele vislumbra a colocação de painéis higroelétricos no topo de prédios em regiões onde ocorrem muitas tempestades. Os painéis drenariam a energia do ar, impedindo o acúmulo das cargas elétricas que são liberadas na forma de raios.

Seu grupo de pesquisa já está testando metais para identificar aqueles com maior potencial para utilização na captura da eletricidade atmosférica e prevenção dos raios.

"São ideias fascinantes que novos estudos, nossos e de outras equipes de cientistas, poderão tornar realidade," disse Galembeck. "Nós certamente temos um longo caminho a percorrer. Mas os benefícios no longo prazo do aproveitamento da higroeletricidade podem ser substanciais."

Fenômenos eletrostáticos

Durante o século 19, houve vários relatos experimentais associando a interface ar-água e os fenômenos eletrostáticos da chamada "eletricidade do vapor". O famoso Lord Kelvin idealizou um equipamento, que ele chamou de condensador de gotas de água, para reproduzir experimentalmente o fenômeno.

Contudo, até hoje ninguém havia conseguido descrever os mecanismos do acúmulo e da dissipação das cargas elétricas na interface ar-água.

Isso pode dar a dimensão dos resultados agora obtidos pelos cientistas brasileiros.

O trabalho do professor Fernando Galembeck e sua equipe demonstra que a adsorção do vapor de água sobre superfícies de materiais isolantes (dielétricos) ou de de metais isolados - devidamente protegidas dentro de um ambiente blindado e aterrado - leva à acumulação de cargas elétricas sobre o sólido, em um intensidade que depende da umidade relativa do ar, da natureza da superfície usada e do tempo de exposição.

A pesquisa verificou ainda um aumento acentuado nas cargas elétricas acumuladas quando são usados substratos líquidos ou isolantes sólidos, sob a ação de campos externos, quando a umidade relativa do ar se aproxima de 100%.

Bom gente pra quem leu até aqui parabens, esta materia nos remete a pensar num mundo cada vez mais dependente de aprendermos a trabalhar em harmonia com a naureza.

sábado, 28 de agosto de 2010

Morar num condominio parque clube

Ha 3 anos foi lançado o condominio parque clube aqui em Guarulhos.Um belo empreendimento que ja sinalizava uma tendência que é ter tudo dentro do local onde voce mora, como quadras, piscinas, saunas,espaço mulher,jardins, pet care, salão de jogos, areas de convivencia,salas de cinema, lan-house etc. Na verdade ainda não havia tantas linhas de financiamento e uma crise ja pairava pelo mundo, e foi enfrentada de frente aqui no Brasil tornando-se de fato uma marolinha.Com o sucesso de vendas os apartamentos de 150 metros esgotaram em pouco tempo devido a carencia deste produto até então.De 700 aptos em 6 torres, sendo uma torre para aptos de 150 m² 2 torres para aptos de 134m² e 3 torres para aptos de 91m². No dia do lançamento foram vendidas 230 unidades.Hoje quando esta para ser entregue, a cidade ja tem varios lançamentos semelhantes e que tambem são sucesso de vendas, nossa cidade Guarulhos segundo fontes do IBGE ja sinaliza uma população de 1,4 milhões de pessoas,e somos uma das regiões que mais tem financiamentos pela caixa economica federal e o bairro pimentas durante muito tempo o patinho feio, agora é cortejado por construtoras e varios lançamentos na linha popular são neste bairro que tem aproximadamente 650 mil pessoas.
Esta era a propaganda com o jogador de basquete Oscar Schimidt.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Estrangeiros agora tem limite na compra de terras

A União limitou a compra de terras por estrangeiros. O presidente Lula aprovou parecer da Advocacia-Geral da União que dá nova interpretação para uma lei de 1971, impondo regras para a venda de imóveis rurais a empresas com sede no Brasil controladas por estrangeiros, o que hoje não existe.

Publicadas no “Diário Oficial da União” ontem, as novas regras já estão em vigor.

Além de autorização do Incra para adquirir imóveis rurais, as empresas comandadas pelo capital externo não podem comprar mais de 25% das terras de um município nem fazer aquisições para projetos agrícolas, pecuários e industriais se esses objetivos não estiverem nos estatutos das companhias.

Está proibida ainda a venda de terras de mais de 250 hectares a 5.000 hectares, dependendo do Estado. As empresas estrangeiras perdem assim a igualdade que tinham em relação às empresas de capital nacional.

A AGU justifica a medida dizendo que “a crise de alimentos no mundo e a possibilidade de adoção, em larga escala, do biocombustível são os novos vetores dessa abordagem estratégica da questão da propriedade de terras no Brasil”. A decisão de aprovar o parecer, porém, demorou quase dois anos.

O texto -de setembro de 2008- coincide com o início da crise global. Apesar da disposição do governo de controlar a presença estrangeira na Amazônia, avaliou-se que era preciso esperar o melhor momento para impor limites à compra de terras.

Enquanto os demotucanos, FHC, José Serra, Kátia Abreu, entre outros sempre foram favoráveis a não ter limites para a venda de terras a empresas e investidores estrangeiros, o presidente Lula limita a venda.

Celso Jardim (com informações de Fernanda Odilla)

Ja era hora pois os estrangeiros estavam entrando com muito apetite pra comprar terras aqui em nosso pais, isso sem falar que lá no norte nordeste onde os europeus estão fazendo a festa e comprando grandes extensões de terra na faixa litoranea.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Cresce o crédito para habitação, em julho 3,9%

As operações de financiamento para habitação lideraram a expansão do crédito em julho, de acordo com dados divulgados hoje pelo Banco Central (BC). Na comparação com junho, o total de financiamentos habitacionais cresceu 3,9% e atingiu R$ 116,057 bilhões. Nos 12 meses encerrados em julho, a carteira tem crescimento de 50,8%.

Outro segmento que apresentou expansão das operações em ritmo maior que a média em julho foi a indústria, cuja carteira cresceu 1,6% na comparação com junho, totalizando R$ 329,211 bilhões. A categoria das pessoas jurídicas registra alta de 11% no acumulado de 12 meses. Já os empréstimos para as pessoas físicas tiveram expansão 1,1% no mês, para R$ 502,241 bilhões, em ritmo inferior à média do crédito, que subiu 1,2% em julho. Em 12 meses, a carteira de crédito das famílias acumula alta de 16,3% e o total da indústria de crédito no Brasil teve expansão de 18,4%.

Outras notas interessantes:

* Juro do cheque especial vai a 167,3% ao ano
* Crédito cresce 1,2% em julho ante junho no Brasil, diz BC
* Juro bancário médio sobe em julho para 35,4% ao ano
* Inadimplência no crédito livre segue em 5% em julho

Da Agencia Estado 24/08/2010

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

A energia que vem do Capim

Em 2006, o pesquisador paulista formado pela USP, Paulo Puterman,de 50 anos,acreditou tanto numa pesquisa sua,sobre a utilização de um tal de "Capim gigante"oriundo da África,que deu-se muito bem no Brasil,plantado e processado na Bahia,numa caldeira adaptada,e cuja energia,uma vez processada, é 22,5% mais barata que a produzida numa termelétrica convencional,e convenceu ao casal de investidores Luiz Felipe D'Ávila e Ana Maria Diniz,de São Paulo,a investirem cêrca de R$ 100 milhões de reais,na sua descoberta,e fundaram a Sykué Bioenergya,e agora o trio colhe o fruto da fé no projeto e no Brasil,que prodúz.

O empreendimento começou a frutificar em julho último,quando a primeira usina entrou em funcionamento comercial,produzindo 30 magawats de energia limpa,contra uma média de 1/3 dos métodos convencionais e caros,até então conhecidos.

Esta primeira "fornada"de energia limpa,foi vendida ao Grupo Pão de Açucar,que assim como a Dona Ana Maria,acreditaram no projeto,e as futuras compras da energia que será gerada pelo empreendimento,já está sendo negociada,com este e com outros grandes grupos comerciais e industriaias,que necessitam desta,energia,e tinham poucos e caros fornecedores.

A energia atualmente gerada pela Sykué 1,é suficiente para abastecer ininterruptamente uma cidade de 200 mil habitantes. Nesta mesma fazenda,o empreendimento está construindo mais três usinas de identico porte. Outras desesseis já estão sendo planejadas para operar em diversas localidades do interior bahiano.

O capim elefante é infinitamente mais barato e produtivo que os seus similares,pois enquanto o eucalípto produz 35 megawatts por hectare,e a cana-de-açucar 26 hectares,ele produz(sem qualquer cuidado especial no plantio e na espera pelo seu crescimento)48 hectares.

Conforme Ana Maria Diniz,"O negócio é ganhar dinheiro ,reduzindo a quantidade de CO2,responsável pelo efeito estufa. O projeto é economico e,certamente atrairá mais consumidores". Conforme a investidora,"A energia do capim é 22,5% mais barata que a de uma termelétrica convencional".

Conforme o pesquisador Paulo Puterman "O Brasil tem uma enorme extensão de terras agriculturáveis. O eqivalente a 388 milhões de hectares. 15% dessa área,ou 60 milhões de hectares,é constutída por pastos degradados. Uma pequena cifra desta terra surrada ,ou 8 milhões de hectares,poderia servir ao cultivo de capim elefante-para dobrar a capacidade de geração de energia do país,e sem agredir a natureza".

Cito esta experiencia e investimento na capacidade e na crença nos nossos "Professores-Pardais,para mostrar que aqui mesmo no Brasil,podemos criar as condições para crescermos,sem depender nem das "tetas"do governo,nem das joynt-ventures com as multinacionais, bastando apenas,a coragem e a fé nos nossos pesquisadores e cientistas.

Do site do Luis Nassif
www.luisnassif.com.br

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Corretor profissão em alta?

Esta semana assisti a uma ampla materia na tv sobre o mercado de trabalho para corretores de imoveis.O crescimsnto foi significativo acompanhando o boom do mercado imobiliario e as construtoras e imobiliarias estão realmente contratando muitos profissionais que inclusive estão migrando de outras areas.O que não foi falado na materia, é que nesta profissão voce é um profissional autonomo portanto não tem ferias nem decimo terceiro salario voce tem que trabalhar e fazer sua carteira de clientes e isto leva tempo.Nas grandes imobiliarias voce vai concorrer todos os dias com dezenas de corretores para ter o direito de atender um cliente nos plantões de lançamentos, e depois ficar de olho para que não o roubem de voce e isto acontece demais pois se o cliente volta ao plantão e não ligou pra voce ou não agendou, o corretor que estiver designado naquela hora atende e faz a venda.E neste caso se o "seu cliente" nem mencionar o seu nome, babau todo o seu trabalho será perdido e a comissão vai para quem fez a venda.Eu pela lopes fiz plantão no tatuape num empreendimento maravilhoso chamado praça das aguas, cheguei a ficar "classificado" em acreditem 298º lugar ou seja so atenderia um cliente depois de 288 visitas e vamos e venhamos nunca aconteceu nem se distribuissem ouro.Neste caso o trabalho pra chamar clientes a visitar o apto decorado e ter uma chance de negocio seria atraves de mala direta e fazendo ligações sendo a maneira mais rapida quando não a unica.
E nem falei do gasto com gasolina, com almoço, dos domingos e feriados longe da familia, e as vezes ainda na hora de assinar o contrato tem aquele cliente que tem a cara de pau de dizer que o corretor não fez nada e se recusa a pagar o valor da comissão, ignorando os dias e dias que é necessario ficar ali de plantão pra atender a pessoa na hora que ela chega e mostrar o produto que afinal de contas vai atender os anseios da familia por um longo periodo de tempo.Nesta profissão mais do que tudo é preciso saber tratar com as pessoas pois o ser humano é uma caixinha de surpresas, parodiando o futebol.

sábado, 14 de agosto de 2010

Os moveis transformers

Achei este video muito legal, pra quem esta procurando os moveis que irão equipar sua casa.


Assista e mostre a seus amigos.

Porque o terreno ficou tão caro?

Estes dias li no jornal a pergunta de um leitor de uma cidade de minas gerais que se espantava porque os terrenos estão subindo de preço tão rapidamente.E a mesma coisa me disse um amigo que mora aqui em são paulo capital e sua familia é de Unai em Goias. Lá o terreno que ele comprou a 4 anos pôr R$ 8 mil reais hoje vale R$ 50 mil.Aqui em Guarulhos o fenomeno se repete, terrenos antes sem valor hoje são procurados avidamente e é dificil achar quem queira vender.Em 2008 comprei meio lote perto do centro da cidade, pôr R$ 45 mil reais agora em 2010 o mesmo lote é vendido pôr R$ 70 mil reais.
A caixa economica federal fez um levantamento e as regiões de guarulhos que mais receberam liberação de financiamentos para projetos habitacionais, são bonsucesso e pimentas, este estudo engloba desde os grandes lançamentos imobiliarios até os pequenos imóveis. Nestas regiões ha um boom na construção de "casinhas" que são vendidas no chamado financiamento minha casa minha vida, este sim é o verdadeiro responsavel pela valorização dos terrenos e o ritmo acelerado da construção civil na cidade e em todo o pais.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

O QUE UMA ESCRITORA HOLANDESA FALOU DO BRASIL.

Recebi este email de um amigo e achei interessante postar aqui.


Os brasileiros acham que o mundo todo presta, menos o Brasil, realmente parece que é um vício falar mal do Brasil. Todo lugar tem seus pontos positivos e negativos, mas no exterior eles maximizam os positivos, enquanto no Brasil se maximizam os negativos.
Aqui na Holanda, os resultados das eleições demoram horrores porque não há nada automatizado .
Só existe uma companhia telefônica e pasmem!: Se você ligar reclamando do serviço, corre o risco de ter seu telefone temporariamente desconectado.

Nos Estados Unidos e na Europa, ninguém tem o hábito de enrolar o sanduíche em um guardanapo - ou de lavar as mãos antes de comer. Nas padarias, feiras e açougues europeus, os atendentes recebem o dinheiro e com mesma mão suja entregam o pão ou a carne.

Em Londres, existe um lugar famosíssimo que vende batatas fritas enroladas em folhas de jornal - e tem fila na porta.

Na Europa, não-fumante é minoria. Se pedir mesa de não-fumante, o garçom ri na sua cara, porque não existe. Fumam até em elevador.

Em Paris, os garçons são conhecidos por seu mau humor e grosseria e qualquer garçom de botequim no Brasil podia ir pra lá dar aulas de 'Como conquistar o Cliente'.

Você sabe como as grandes potências fazem para destruir um povo? Impõem suas crenças e cultura. Se você parar para observar, em todo filme dos EUA a bandeira nacional aparece, e geralmente na hora em que estamos emotivos.

Vocês têm uma língua que, apesar de não se parecer quase nada com a língua portuguesa, é chamada de língua portuguesa, enquanto que as empresas de software a chamam de português brasileiro, porque não conseguem se comunicar com OS seus usuários brasileiros através da língua Portuguesa.

Os brasileiros são vitimas de vários crimes contra a pátria, crenças, cultura, língua, etc... Os brasileiros mais esclarecidos sabem que temos muitas razões para resgatar suas raízes culturais.

Os dados são da Antropos Consulting:

1. O Brasil é o país que tem tido maior sucesso no combate à AIDS e de outras doenças sexualmente transmissíveis, e vem sendo exemplo mundial.

2. O Brasil é o único país do hemisfério sul que está participando do Projeto Genoma.

3. Numa pesquisa envolvendo 50 cidades de diversos países, a cidade do Rio de Janeiro foi considerada a mais solidária.

4. Nas eleições de 2000, o sistema do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) estava informatizado em todas as regiões do Brasil, com resultados em menos de 24 horas depois do início das apurações. O modelo chamou a atenção de uma das maiores potências mundiais: os Estados Unidos, onde a apuração dos votos teve que ser refeita várias vezes, atrasando o resultado e colocando em xeque a credibilidade do processo..

5.. Mesmo sendo um país em desenvolvimento, os internautas brasileiros representam uma fatia de 40% do mercado na América Latina.

6. No Brasil, há 14 fábricas de veículos instaladas e outras 4 se instalando, enquanto alguns países vizinhos não possuem nenhuma.

7. Das crianças e adolescentes entre 7 a 14 anos, 97,3% estão estudando.

8. O mercado de telefones celulares do Brasil é o segundo do mundo, com 650 mil novas habilitações a cada mês.
Na telefonia fixa, o país ocupa a quinta posição em número de linhas instaladas.

10. Das empresas brasileiras, 6.890 possuem certificado de qualidade ISO-9000, maior número entre os países em desenvolvimento. No México, são apenas 300 empresas e 265 na Argentina.

11. O Brasil é o segundo maior mercado de jatos e helicópteros executivos.

Por que vocês têm esse vício de só falar mal do Brasil?

1. Por que não se orgulham em dizer que o mercado editorial de livros é maior do que o da Itália, com mais de 50 mil títulos novos a cada ano.

2. Que têm o mais moderno sistema bancário do planeta.

3. Que suas agências de publicidade ganham os melhores e maiores prêmios mundiais.

4. Por que não falam que são o país mais empreendedor do mundo e que mais de 70% dos brasileiros, pobres e ricos, dedicam considerável parte de seu tempo em trabalhos voluntários.

5. Por que não dizem que são hoje a terceira maior democracia do mundo.

6. Que apesar de todas as mazelas, o Congresso está punindo seus próprios membros, o que raramente ocorre em outros países ditos civilizados.

7. Por que não se lembram que o povo brasileiro é um povo hospitaleiro, que se esforça para falar a língua dos turistas, gesticula e não mede esforços para atendê-los bem.

Por que não se orgulham de ser um povo que faz piada da própria desgraça e que enfrenta os desgostos sambando.

É! O Brasil é um país abençoado de fato.
Bendito este povo, que possui a magia de unir todas as raças, de todos os credos.
Bendito este povo, que sabe entender todos os sotaques.
Bendito este povo, que oferece todos os tipos de climas para contentar toda gente.
Bendita seja, querida pátria chamada Brasil!!

Divulgue esta mensagem para o máximo de pessoas que você puder. Com essa atitude, talvez não consigamos mudar o modo de pensar de cada brasileiro, mas ao ler estas palavras irá, pelo menos, por alguns momentos, refletir e se orgulhar de ser BRASILEIRO!!!

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Otimismo do brasileiro continua crescendo, afirma CNI

Bom gente acho que boas noticias nunca são demais. Noticias ruins, deixa pra grande imprensa.

Pedro Peduzzi
Repórter da Agência Brasil

Brasília - Pelo terceiro mês consecutivo, o otimismo dos brasileiros aumentou, segundo o Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (Inec), divulgado hoje (6) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Entre junho e julho, o aumento foi de 1,8%, atingindo 116,8 pontos. A média histórica do Inec é de 108,9 pontos. A base desse índice é fixa em 100 pontos. Valores superiores a essa marca indicam expectativa positiva.

Este é o segundo maior índice de toda a série histórica iniciada em 2001, perdendo apenas para o registrado em dezembro de 2009 (117,2 pontos). De acordo com o economista da CNI Marcelo Azevedo, o recorde da série foi motivado pelas expectativas do ano novo e pela visão dos consumidores que começavam a acreditar que a crise financeira mundial iniciada em 2008 já estava sendo superada.


Seis indicadores foram analisados no estudo: expectativa de inflação, de desemprego, de renda pessoal, situação financeira, endividamento e compra de bens de maior valor. A maioria dos brasileiros acredita que haverá redução do desemprego, e isso ficou evidente porque a expectativa de desemprego foi a que apresentou elevação mais expressiva, na comparação com junho. Aumentou 4,4%, atingindo 132,5 pontos.

A CNI destaca que houve crescimento de 3,1% no indicador de endividamento das famílias, que atingiu o maior valor da série histórica. Isso, segundo a entidade, mostra que o endividamento dos consumidores é o menor desde 2001. Segundo Marcelo Azevedo, o resultado chama a atenção porque mostra que os consumidores devem estar ajustando seus fluxos de caixa.

Ele explica que esse índice vinha aumentando desde o início do ano por causa do fim dos benefícios fiscais que provocaram a antecipação no consumo de automóveis e bens duráveis.

A inflação tem preocupado menos o consumidor. Para 53% dos consumidores, a expectativa é de que a inflação não mude (43%) ou diminua (10%). Em junho, este índice estava em 117,4 pontos, e em julho subiu para 118,9 – isso corresponde a um aumento de 1,3% no otimismo. O recorde histórico foi registrado em setembro de 2009, quando atingiu 120,2 pontos.

Em relação à renda pessoal, o otimismo cresceu 2,9% na comparação com junho. A expectativa de melhora da situação financeira aumentou 0,8%. O único índice que recuou foi o de compras de bens de maior valor, que caiu 0,5% na comparação com junho, registrando 111,1 pontos.

O Inec ouviu 2.002 pessoas entre os dias 23 e 27 de julho. A pesquisa é mensal e foi elaborada pela CNI com a ajuda do Ibope Inteligência.

Edição: Lílian Beraldo

sábado, 7 de agosto de 2010

Homenagem aos papais

Postei aqui porque achei legal e quis compartilhar com os papais e mamães esta coletanea de Pedro Bloch, de como as crianças nos alegram com sua inocência.

DICIONÁRIO DE HUMOR INFANTIL

ALEGRIA - É um palhacinho no coração da gente.

AMAR - É pensar no outro, mesmo quando a gente nem tá pensando.
ABOLIÇÃO - Uma coisa assinada pela escrava Isaura.

ABSTRATO - Sim, eu sei o que é abstrato. Esta sopa, por exemplo, leva abstrato de tomate.

BÚSSOLA - É uma coisa que toda criança deveria ter.

· É que eu me perdo muito.

BOCA - É a garagem da língua.

BEBÊ - É uma coisa que ainda tem a cabeça verde. Não funciona como a gente.

ADULTO - É uma pessoa que não entende de chuva, criança ou bala.

CABELO - É uma coisa que serve pra gente não ficar careca.

CALCANHAR - É o queixo do pé.

COBRA - É um bicho que só tem rabo.

CHOCOLATE - É uma coisa que a gente nunca oferece aos amigos porque eles aceitam.

CINEMA - É um lugar onde a gente come pipoca.

DIA - Hoje é amanhã de ontem.

ESTUDIOSO - Ser estudioso é pensar pouco e decorar muito.

ESPERANÇA - É um pedaço da gente que sabe que vai dar certo.

FÉ - É uma menininha, na praia, esvaziando o mar com um baldezinho de plástico furado.

GÊMEAS - Duas meninas de cara repetida.

ILHA - É um morro que caiu dentro do mar.

INFERNO - É um lugar onde a gente morre muito mais.
JUÍZO - É fazer tudo o que mamãe acha que tá certo, mesmo quando está errado.

JARDIM ZOOLÓGICO – O bicho que eu mais gostei, no jardim zoológico, foi o vendedor de sorvete.

LÓGICA - Uma nota de dez rasgada no meio não dá duas de cinco, dá?

MENTIRA - (ouve-se o estraçalhar de um vidro no banheiro e o menino grita) - "É mentira do barulho!”

MÃE – Quando você era menina, quem era minha mãe?

NOITE - É o dia com luz apagada.

NAMORADO - É uma pessoa que tem medo do claro.

NEVOEIRO - É poeira do frio.

PACIÊNCIA - É uma coisa que a mamãe perde sempre.

REDE - É uma porção de buracos amarrados com barbante.

REFLEXO - É quando a água do lago se veste de árvores.

RELÂMPAGO - É um barulho rabiscando o céu.

SAUDADE - É quando uma pessoa que devia estar perto está longe.

TRISTEZA - É uma criança com gesso no pé, sem assinatura.

ULTRASSONOGRAFIA - É parente da Geografia? É?

VEIAS - São raízes que aparecem no pescoço das meninas que gritam.

SONO - É saudade de dormir.

SOL - Eu não errei na prova. Só disse que o Sol nasce no nascente e dorme no dormente.

VOCAÇÃO - É a voz do papai.

XINGAR - Quando eu xingo a minha avó, só xingo a metade que é do meu irmão.

W - São dois vês que nasceram gêmeos.

Y - É uma letra parecida com um estilingue, que é intrometida.

Pedro Bloch passou toda a sua vida de médico e

Só mesmo Pedro Bloch para conseguir essa coletânea...

Bom Fim de semana a todos.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Compras de imóveis pela internet

Internet ajuda a fechar 30% das compras de imóveis
Há três anos, a participação da internet não chegava a 10% dos contratos ASSINADOS. Para Este ano, esse volume pode Ultrapassar os 35%.
A legislação brasileira não Permite que a compra de um imóvel seja realizada totalmente pela internet. No entanto, quase todo o processo pode ser feito de forma virtual, desde o conhecimento do projeto um até o envio de documentação.
O engenheiro civil Carlos Eduardo Rocha Paiva, 25 anos, economizou tempo ao buscar um imóvel pela internet. "Comecei a pesquisar uma e utilizei o corretor on-line. Com esse auxílio, precisava todas as informações que consegui. Só conheci o Empreendimento pessoalmente nenhum dia em que assinei o contrato ", diz ele, que comprou um apartamento no bairro de Pirituba.
Reyes conta que estava há seis meses procurando um imóvel, mas não tinha tempo de ir aos Plantões de vendas. "Com uma internet, não só vi como todas as fotos como obtive informações, valores e forma de pagamento pelo atendimento on-line. Também mandei meus documentos por e-mail. E a mesma pessoa que tirou minhas dúvidas pelo site foi a que me atendeu pessoalmente, o que achei muito bom ", comenta,.
O casal Alexandre Regi Lozei Moreira, 25 anos e Thais Caes Molina, 21 anos, também preferiu a encontrar para internet e comprar um imóvel. "Economizamos tempo e gasolina. Em um mês fechamos o negócio ", afirma. "Mas em locais em que não há atendimento e informação on-line, só me decepcionei nenhum plantão de vendas, porque não era o que queria", completa.
Pensando em Atingir o maior número de Possível Potenciais compradores, como Construtoras e empresas de vendas investem cada vez mais na internet. No site da Living, braço de Imóveis Considerados econômicos da Cyrela, o mês de outubro de 2009 registrou a marca de 75 mil visitas, das Quais foram 10 mil contatos por meio de bate-papo com Corretores. "Em um plantão não é Possível atender tantas pessoas assim. Por isso queremos inovar cada vez mais nessa área eo próximo passo é Permitir acesso ao conteúdo via celular ", explica Gilson Hochman, diretor de vendas da Cyrela.
O site de Consultoria de Imóveis registra cerca de 1,2 milhão de visitas por mês e até 4% se convertem em atendimento on-line. "A internet corresponde de 35% a 40% de nossas vendas. Conseguimos desde Atingir o público de produtos econômicos até o alto padrão com o site e Corretores virtuais ", diz Adriana Sanches, gerente de marketing da empresa.
Para Marcelo Bigucci, a internet também é um modo barato de divulgar os produtos e Contatar os clientes. Ele acredita que o site Atinja um volume maior de possíveis compradores do que como material de divulgação e propagandas. "Hoje, todo mundo tem acesso à internet", diz. A empresa tem 15% de suas vendas realizadas por meio virtual.
O vice-presidente de Mercado Imobiliário do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP), Odair Senra, afirma que o trabalho virtual também melhora o relacionamento entre Corretores e Consumidores. "Por muito tempo, uma visão que se tinha era de que os Corretores eram uns chatos, que ficavam ligando atrás de clientes desinteressados. Mas com uma internet, quem procura é o cliente e não o profissional de vendas ".
Fonte: Último Segundo

Construção civil boas noticias

As grandes empresas mostra bons niveis de satisfação, e o indicador tem registrado 54,4 pontos entre maio e junho, embora no trimestre anterior a sondagem com este segmento tenha apontado índice de 58. As pequenas empresas registraram índice negativo no segundo trimestre, com 49,7 pontos.

A pesquisa da CNI mostrou que, no último mês, a construção civil no Brasil manteve-se aquecida (53,8 pontos), embora a um ritmo menos acelerado do que em maio. O gerente-executivo da Unidade de Pesquisas, Renato da Fonseca, ressaltou que o setor ainda está “claramente aquecido”.

A CNI demonstrou que a evolução do número de empregados continuou acontecendo no segundo trimestre com 52,9 pontos. O índice, no entanto, é inferior ao registrado no semestre anterior com 56,4 pontos. Fonseca atribuiu a leve queda no ritmo da construção civil brasileira à suspensão dos incentivos tributários do governo para estimular a recuperação da indústria no período de crise financeira.

A entidade informou ainda que o setor se queixa, principalmente, da falta de mão-de-obra qualificada. Esta questão foi apontada como o principal problema por 62% das empresas, especialmente para as empresas de porte médio (63,4% dos empresários) e grande (81,3%). Já entre as pequenas, 64,6% consideram que o problema maior está na elevada carga tributária.

Fonseca afirmou que, embora a falta de qualificação tenha se mostrado uma preocupação séria, ela ainda não compromete o crescimento do setor. O representante da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), Luiz Fernando Mendes, informou que as empresas estão assumindo a responsabilidade de oferecer capacitação aos trabalhadores, no canteiro de obras.

“Este desafio, está trazendo a industrialização ao processo de construção civil do país. Estamos saindo de um sistema considerado artesanal e partindo para inovação tecnológica”, disse Mendes, após a sondagem apresentada na CNI.

Os empresários da construção civil estão animados sobre o comportamento do setor para os próximos seis meses. Sobre o nível de atividade, foi registrado em julho 65,2, ante 67,8 do mês anterior. Já os indicadores da pesquisa sobre a expectativa com novos empreendimentos e em relação às compras de insumos e matérias-primas - para os próximos seis meses - foram de 66 e 63,9, respectivamente.

Fonseca informou que os eventos esportivos que o Brasil receberá nos próximos anos contribuem para o aumento do entusiasmo dos empresários com a possibilidade de execução de obras de infraestrutura.

“A Copa do Mundo e as Olimpíadas são obras programadas que têm data limite para acontecer. Esta previsão não está apoiada somente em previsões do governo”, disse Fonseca, ao se referir às obras em estádios de futebol, portos e aeroportos. A pesquisa foi realizada com 320 empresas entre 30 de junho e 20 de julho.

Dados de sondagem encomendada pela CNI - Confederação Nacional da Industria

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Um milhão de pontos

Aderi recentemente aos links ditos patrocinados depois que recebi em minha empresa o convite do Google para comprar lotes de anuncios ou clics que é: pagar pelos anuncios que as pessoas veem ao clicar nos tais links, se alguem paga, me perguntei, alguem recebe.O Brasil é um dos maiores usuarios de internet no mundo e cada vez mais os internautas decidem pela compra ao conhecer os produtos aqui na rede.Os anuncios tem a ver com os temas que a gente cadastrou na hora de criar o blog, por exemplo eu preferi escrever mais sobre assuntos da ramo imobiliario, então os anuncios deveriam ter a ver com; financiamentos, consorcios, lançamentos, bancos e assuntos correlatos.Eu tenho mais de uma centena de anuncios onde sempre menciono este blog, dai a esperança que as pessoas leiam e cliquem nos links pra gente chegar ao numero mágico de 1 milhão de pontos.A internet é um campo que esta ainda a ser explorado e conhecido.Me espanta as as pessoas que conhecemos no dia a dia profissional e que não tem a menor intimidade com o computador, mas mesmo assim estão construindo casas, predios, empresas e negocios.Não se esqueca ao procurar financiamento pode clicar nos links aqui do lado, boas compras.