sexta-feira, 26 de julho de 2013

Record no crédito Imobiliario!

Empréstimos para imóveis chegam a R$ 49,6 bi no 1º semestre

Do Jornal do Brasil
Crédito Imobiliário bate recorde em empréstimos
Financiamentos chegam a R$ 49,6 bilhões no primeiro semestre
Os empréstimos para compra e construção de imóveis alcançaram o montante de R$ 49,6 bilhões no primeiro semestre de 2013. Esse volume é 34% superior aos R$ 37 bilhões no mesmo período de 2012. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira ( 25), pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip). O volume é o maior já registrado em um único semestre, segundo a associação. Os dados levam em conta apenas os financiamentos com recursos provenientes das poupanças.
De acordo com a Abecip, somente em junho, o volume de concessões alcançou R$ 11,2 bilhões, crescendo 51% na comparação com igual mês do ano passado e 15% em relação a maio. Segundo o presidente da entidade, Octavio de Lazari Junior, os números do encerramento do semestre são extremamente satisfatórios. “estamos satisfeitos com o que estamos conseguindo implementar no Brasil, seja pela força das construtoras, seja pela confiança do consumidor”, disse ele.
Nos primeiros seis meses de 2013 foram financiados 244,7 mil imóveis, 14% a mais do que no primeiro semestre de 2012. Em junho, foram financiados 53,2 mil imóveis, o que representou crescimento de 12% em relação a maio e de 27% na comparação com junho do ano passado. Nos últimos 12 meses até junho foram financiados 483,6 mil imóveis, 3% a mais do que nos 12 meses precedentes.
De acordo com a Abecip, a inadimplência do crédito imobiliário ficou em 1,9% nos cinco primeiros meses de 2013, contra 8,2% do cheque especial; 6,3% de financiamento de veículos; e 4,5% de crédito pessoal, com base em dados do Banco Central. A inadimplência nos contratos com alienação fiduciária é ainda menor: ficou em 1,3% em 2012.
As projeções da entidade indicam que o saldo em carteira do crédito imobiliário deve superar o crédito pessoal já no segundo semestre deste ano.

Comentário: Os valores dos terrenos também dispararam e fica cada vez mais dificil acompanhar a evolução dos preços dos apartamentos.