terça-feira, 29 de abril de 2014




Leia abaixo comunicado oficial que divulgamos nesta terça-feira (29/04):

Nos últimos anos, a Petrobras apresentou crescimento no volume de produção de óleo do pré-sal, na produção de derivados, nas suas reservas provadas e no volume diário de entrega de gás natural. Confira nos gráficos a seguir.





A produção de petróleo do pré-sal continua a crescer. No dia 15 de abril, registramos novo recorde de produção diária nos campos que operamos nas Bacias de Santos e Campos: 428 mil barris de petróleo por dia (bpd). Esse marco resultou do crescimento da produção da plataforma P-58, cuja operação foi iniciada em 17 de março deste ano no complexo chamado Parque das Baleias. Comparando-se as produções de 2014 e 2013, o volume de óleo produzido oriundo dos campos do pré-sal cresceu 41%, um número relevante.

As tecnologias necessárias para a produção na camada pré-sal foram desenvolvidas e encontram-se dominadas pela Petrobras.


Produção de derivados






*2014: Carga média processada por dia em março/2014.

A produção de derivados de petróleo nas refinarias da Petrobras teve crescimento de 31% no período 2003-2014. O resultado foi um expressivo acréscimo em volume de 512 mil bpd nesse intervalo. Esse ganho equivale ao que se obteria em derivados com a construção de duas refinarias novas com capacidade de cerca de 250 mil barris por dia, cada uma.

Refinar mais a partir das mesmas refinarias, com segurança, qualidade e eficiência, é resultado de investimentos expressivos em modernização, novas unidades de processamento e melhorias operacionais. Até 2020, a Petrobras estará produzindo 3,1 milhões de barris por dia de derivados, abastecendo plenamente o mercado nacional.


Reservas de petróleo e gás





As reservas de petróleo e gás da Petrobras tiveram um aumento expressivo de 27% entre 2003 e 2013. Em 2003, as reservas provadas no Brasil, estimadas pelo critério SPE (da sociedade mundial de engenheiros de petróleo), eram de 12,6 bilhões de barris de óleo equivalente (petróleo e gás). Em 2013, esse volume chegou a 16 bilhões de barris. Pelo 22° ano consecutivo, a Petrobras teve um índice de reposição de reservas acima de 100%.

As reservas provadas, somadas ao volume Potencial Recuperável, alcançam o valor de 27,4 bilhões de barris de óleo equivalente. Essa é uma marca que demonstra a dimensão do trabalho desenvolvido pela Petrobras.


Entrega de gás natural






*2014: Média diária de entrega de gás natural ao mercado em março/2014.

A Petrobras alcançou no mês de março de 2014 o valor de 96 milhões /dia no volume médio de entrega de gás natural. No ano de 2003, de m3 o volume médio diário de entrega foi de 35 milhões de m3 significa um aumento de 174%.

Para chegar ao patamar atual, a companhia fez investimentos expressivos em infraestrutura de transporte, incluindo gasodutos, estações de compressão, pontos de entrega e 3 terminais de Regaseificação de Gás Natural Liquefeito (GNL). O crescimento da malha de gasodutos foi de 76%, passando-se de 5.200 km em 2003 para 9.190 km em 2013.

O gás natural entregue em março de 2014 teve como origem 40 milhões /dia de produção nacional, 32 milhões de m3/dia de importação da Bolívia e 24 milhões de m3/dia de importação de gás natural liquefeito proveniente, majoritariamente, de Trinidad e Tobago. Esse GNL importado foi regaseificado nos 3 terminais de regaseificação existentes no Brasilconstruídos nos últimos 5 anos.
Comunicado oficial da Petrobras, no PiG (*), nessa terça-feira:
Do site conversaafiada

segunda-feira, 28 de abril de 2014

A refinaria de Pasadena pode ter valor contábil de 3 bilhões de dolares!

Do site do Luis Nassif

Valor contabil de Pasadena pode chegar a US$ 3 bi

Continuo não entendendo a política de comunicação da Petrobras.
As informações saem a conta-gotas, são entregues a bons repórteres de veículos com viés político que dão destaques apenas às informações negativas.
Hoje saiu uma boa matéria em O Globo sobre Pasadena, com informações exclusivas. Em geral O Globo e o Estadão tem uma preocupação maior com o conteúdo, mas valem-se do mesmo viés político na edição.
A manchete diz: "Despesas da Petrobras com Pasadena já chegam a US$ 1,93 bilhão”. Esse será o próximo número mágico a ser brandido como dinheiro jogado no lixo, já que nada se diz sobre as receitas nem sobre o valor atual da companhia.
Há um atenuante na foto em primeiro plano com a presidente da Petrobras Graça Foster informando sobre os resultados positivos deste ano.
Em cima desses mesmos dados, através de algumas simulações poder-se-ia chegar às seguintes conclusões e manchetes: “Com recuperação dos preços do petróleo, VPL de Pasadena poderá saltar para mais de US$ 3 bilhões”.
Não significa muita coisa nem falar do prejuízo contábil nem valor do novo valor contábil para Pasadena. Mas vale para mostrar como temas complexos podem ser manipulados de um lado e de outro valendo-se das metodologias apresentadas.
Antecipo as conclusões das simulações que fiz abaixo, em cima dos dados que a Petrobras apresentou a O Globo.
A grande queda no valor da refinaria - segundo a reportagem - deveu-se à queda nos preços do barril de petróleo, que "despencou de um nível de mais de US$ 140 o barril para pouco mais de US$ 30, tendo voltado a valer mais de US$ 100 só três anos depois”.
Se os resultados da Pasadena subiram na mesma proporção do aumento do valor do petróleo, é possível que seu Valor Presente Líquido atual bata em US$ 2 bilhões. Como o passado contábil já foi zerado (quando a Petrobras lançou a prejuízo) é possível que seu próximo balanço tenha um acréscimo patrimonial contábil entre US$ 1,5 a mais de US$ 3 bilhões, dependendo da manutenção dos resultados dos dois primeiros meses. 
Destrinchando os números.
Valor contábil é o tudo o que foi pago pela companhia ajustado de acordo com índices de correção anuais. 
Valor Presente Líquido é o resultado de uma projeção do resultado do ano para o futuro, trazido a valor presente de acordo com determinada taxa de juros. Se o Valor Contábil for maior que o VPL, lança-se a diferença na conta de prejuízo; se for menor, lança-se na conta de lucro.
É importante entender que, pela fórmula de cálculo, o VPL varia de acordo com o resultado de cada ano. Se melhora o resultado (como tudo indica) aumenta o VPL.
Vamos a uma pequena simulação para tentar entender todos os fatores da conta:
VPL = 352.000 - foi o resultado calculado pela contabilidade da Petrobras, quando decidiu lançar o investimento de Pasadena a prejuízo.
Taxa de juros anual = 6% (usei 6% como hipótese, pois a reportagem não informa qual a taxa de juros utilizada).
Prazo: 25 anos. Significa que a cada ano a empresa precisa investir 1/25 do valor original na reposição de peças para manter o mesmo valor.
Valor Futuro = US$ 352.000 
PMT = US$ 21.120. Significa quanto a companhia precisa dar de lucro anual para valer US$ 352 milhes.
Em português:
Aplico US$ 352.000 em um investimento que me rende 6% ao ano durante 25 anos. No final dos 25 anos resgato meus US$ 352.000 sem correção. De quanto deverá ser o rendimento anual?
Pelas contas acima, teria que ser de US$ 21,12 milhões.
O novo cálculo
Usando os mesmos dados, de quanto seria o novo valor da Pasadena com a melhoria dos resultados.
Coluna 2012
Levando-se em conta os números apresentados, o resultado de caixa da refinaria foi de US$ 69.120. Abatendo-se o 1/25 a título de depreciação, ou US$ 48 milhões, o lucro final (nesse exemplo) foi de US$ 21,12 milhões.
Simulações
Segundo Graça Foster, em sua apresentação no Senado, nos dois primeiros meses do ano a Pasadena apresentou resultado de US$ 52 milhões - não se sabe se ao mês ou nos dois meses. Projetando-se para o ano, daria um resultado anual entre US$ 312 milhões a US$ 624 milhões
 Na reportagem de O Globo fica-se sabendo que o principal fator de rentabilidade é o preço do petróleo - que nos últimos tempos subiu 3 vezes.
A partir daí vamos às simulações:
Se o resultado da Pasadena saltar dos prováveis US$ 69,1 milhões de 2012 para US$ 150 milhões em 2014 (2,17 vezes mais), o VPL dela vai para US$ 1,5 bilhão.
Se o resultado for de US$ 200 milhões, seu VPL saltará para US$ 2 bilhões.
Se o resultado for de US$ 300 milhões, o VPL será de US$ 3 bilhões.
Se o resultado for de US$ 600 milhões. o VPL será de US$ 6 bilhões.
Como Pasadena já foi lançada a prejuizo, na próxima reavaliação contábil haverá um aumento entre US$ 1,5 bi a US$ 6 bilhões no valor patrimonial da Petrobras.
Como esses dados só são fornecidos pela Petrobras a O Globo, vamos aguardar a próxima reportagem para conferir as simulações e tentar extrair o contraditório.

Padilha e a livre imprensa do lado de lá?

sábado, 26 de abril de 2014

O Pedágio cobrado em São Paulo pagaria os estádios da Copa!

Em um ano dinheiro dos pedágios em SP daria para os construir estádios da Copa

publicado em 25 de abril de 2014 às 20:06 no Viomundo
LUCROS
Em um ano, arrecadação dos pedágios paulistas faria 12 arenas da Copa
Estudo de deputados estaduais PT de São Paulo aponta razões para a instalação de comissão que investigará concessões de estradas à iniciativa privada
São Paulo – As concessionárias que administram os pedágios nas estradas estaduais arrecadaram, em 2013, cerca de R$ 6,891 bilhões, de acordo com o Pedagiômetro – que utiliza os relatórios de arrecadação das concessionárias para estimar o faturamento das praças de pedágio paulistas.
Segundo nota da bancada do PT na Assembleia Legislativa de São Paulo, o valor é apenas R$ 733 milhões mais baixo que os R$ 7,6 bilhões previstos no documento Matriz de Responsabilidades, do Portal Transparência, do governo federal, para a reforma e ou construção dos 12 estádios que sediarão jogos da Copa do Mundo de futebol.
Os cálculos, diz a nota, são de diferentes fontes, incluindo BNDES, Caixa Econômica Federal, além de governos estaduais e municipais, dentre outros, e explicam por que a construção das praças de pedágios no estado saltaram de 40, em 1997, para 246, em 2013.
Em seu site, a bancada lembra que as estradas que foram repassadas à iniciativa privada, principalmente na primeira fase, em 1998, apresentavam boa qualidade, construídas com recursos dos impostos pagos pelos contribuintes estaduais.
“Os tucanos entregaram para a iniciativa privada o melhor, as rodovias duplicadas e com maior fluxo de tráfego”, diz o texto.
Ainda segundo a bancada do PT,  67% das concessões de rodovias paulistas usam o IGP-M como indexador para corrigir o valor das tarifas de pedágios anualmente e o restante usa o IPCA. De junho de 1998 até maio de 2013, a variação do IGP-M foi de 248%, enquanto para o IPCA foi de 152%.
Os valores das tarifas de pedágios cobradas no estado de São Paulo serão alvo de investigação de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Assembleia Legislativa. O pedido de instalação da comissão foi protocolado em março de 2011, mas só agora passará a ser tema de apuração.
A bancada petista na Assembleia Legislativa – que já indicou os deputados Antonio Mentor e Gerson Bittencourt como membros titulares da CPI – aguarda a indicação dos representantes das demais bancadas, num total de nove parlamentares. Depois disso, deverá ser convocada a primeira reunião da comissão, que elegerá presidente e vice. É de praxe que a presidência ou a relatoria fiquem com o autor do pedido, que foi o deputado Mentor.

Do site Viomundo

quinta-feira, 24 de abril de 2014

O Poder da Mídia negativa segundo Kotscho

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Petrobras investirá US$ 100 bi na Industria Naval!

Em seis anos este será o montante de investimentos.

Jornal GGN - Graças à descoberta do pré-sal, estima-se que até 2020, o Brasil dobre a produção de petróleo. Para isso, a Petrobras - mesmo em meio à crise política e institucional que foi instaurada após a divulgação do suposto mau negócio em Pasadena – vai investir US$ 100 bilhões na indústria naval brasileira.  
O total de encomendas até 2020 será de 28 sondas, 49 navios e 146 barcos de apoio, 61 destes já estão em construção e 26 já entregues. A previsão é de contratação dos restantes 59 barcos de apoio até outubro, o que totalizará as 146 novas embarcações. Além dessas encomendas, serão contratadas também 38 plataformas de produção, que contribuirão para elevar a produção de petróleo da Petrobras para 4,2 milhões barris por dia em 2020.

O investimento na indústria naval não só estimula o próprio setor, como também toda a cadeia produtiva. Por exemplo, o setor de máquinas, equipamentos pesados, caldeiraria, elétrica e automação. O conteúdo nacional dessas obras varia de 55 a 75%.
Há dez anos, as demandas da Petrobras foram responsáveis pelo grande avanço da indústria naval nacional e pelo desenvolvimento econômico de diferentes regiões do país. Programas de incentivo à produção nacional como o Promef (programa de modernização da frota), Prorefam (programa de renovação da frota de apoio marítimo) e o Promimp (programa de mobilização da indústria nacional de petróleo e gás) são os grandes responsáveis pelos ótimos resultados.

Em 2001, a construção naval empregava cerca de 1.900 pessoas no Brasil e hoje emprega mais de 78 mil, reflexo do aumento da produção de petróleo e investimento em logística e distribuição. Até 2017, estima-se que sejam gerados mais 25 mil novos empregos, segundo estimativa do SINAVAL (Sindicato Nacional da Indústria de Construção e Reparação Naval e Offshore).
Com informações da Transpetro
Comentario: Por isso tanta discussão em torno da Petrobras que o FHC queria mudar o nome para Petrobrax para poder vender aos gringos do norte.

terça-feira, 22 de abril de 2014

A Cantareira secou e agora?



Do site Brasil247
CANTAREIRA REGISTRA NOVO RECORDE NEGATIVO: 11,9%
Paulo Whitaker / Reuters: A view of the water catchment of the Cantareira water supply system at Jaguari dam in Joanopollis, 136 km (77 miles) from Sao Paulo February 21, 2014. The water levels of the Cantareira system, which serves 9.3 million residents in Sao Paulo's metropolita


Pela primeira vez o nível exibido pelo sistema era abaixo dos 12% nesta terça-feira; situação atual é a pior desde que o reservatório foi criado, na década de 1970, e apesar do baixo nível das represas, o governo paulista não decretou racionamento para a região metropolitana, apenas medidas como descontos para quem economizar e multa para quem aumentar o consumo de água
22 DE ABRIL DE 2014 ÀS 14:54
SÃO PAULO, 22 Abr (Reuters) - O conjunto de represas Cantareira, mais importante para o abastecimento da região metropolitana de São Paulo, registrava nível de armazenamento abaixo da casa dos 12 por cento pela primeira vez nesta terça-feira, continuando movimento de esgotamento apesar de medidas tomadas recentemente pelo governo do Estado.
O nível exibido pela sistema de reservatórios nesta terça-feira era de 11,9 por cento ante 13,4 por cento no início do mês e de 27 por cento no começo de janeiro, segundo dados da empresa de águas estadual Sabesp.
A situação atual é a pior desde que o sistema Cantareira foi criado, na década de 1970, e apesar do baixo nível das represas, o governo do Estado ainda não decretou racionamento para a região metropolitana, optando por medidas como desconto nas tarifas de consumidores que economizarem água.
A presidente da Sabesp, Dilma Pena, afirmou em 10 de abril que a projeções a empresa apontam para segurança no abastecimento de água, sem racionamento até o final deste ano, mesmo considerando o pior cenário de chuvas e utilização da chamada "reseva técnica".
A reserva técnica reúne água que fica no fundo dos reservatórios e que a Sabesp quer utilizar para ajudar no abastecimento.
A utilização desse recurso causa preocupação na Agência Nacional de Águas (ANA) diante de riscos ambientais que podem surgir quando sendimentos das represas do Cantareira foram revolvidos para a captação da água.
As ações da Sabesp exibiam alta de 1,1 por cento nesta terça-feira, enquanto o Ibovespa tinha recuo de 0,35 por cento. Os papéis subiam depois que o governo do Estado autorizou na quinta-feira reajuste de 5,44 por cento nas tarifas da Sabesp, acima dos 4,66 por cento divulgados anteriormente pela agência reguladora estadual Arsesp.
Na véspera, segundo informações da imprensa local, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou que consumidores que consumirem água acima da média a partir de maio terão suas contas elevadas em 30 por cento.
Representantes do governo do Estado não puderam comentar o assunto nesta terça-feira e representantes da secretaria de saneamento não estavam disponíveis.

Comentário: 
Pôr incapacidade de gestão do governo do estado de São paulo que é do PSDB agora a população vai pagar o pato, a represa secou e ninguém faz nada, não vemos a mídia indignada e os especialistas todos pegam leve com o governador Geraldo Alckimim, são vinte anos que tiveram para planejar e tomar providencias, deu no que deu, a verdade é que a represa tecnicamente secou.

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Os boateiros coxinhas serão chamados a depor!

Internautas que espalharam boatos sobre filho de Lula são chamados a depor

Internautas foram intimados pela justiça após espalharem mentiras sobre filho de Lula, como a que ele seria dono de castelo e tinha negócios com a Friboi. Entre os acusados está Daniel Graziano, gerente financeiro do Instituto Fernando Henrique Cardoso (iFHC)
boato filho lula mansão fazenda castelo
Foto da Escola Superior de Agricultura de Piracicaba (Elsalq) foi divulgada na internet como sendo o “castelo do filho de Lula” (Arquivo)
De acordo com reportagem publicada no jornal Brasil Econômico, o filho do ex-presidente Lula, Fábio Luís Lula da Silva, pediu a abertura de um inquérito no 78º DP, da cidade de São Paulo, para que sejam identificados os responsáveis pela circulação de boatos contra ele divulgados nas redes sociais. De acordo com internautas, Fábio da Silva deveria “estar cuidando de suas fazendas ou administrando os negócios da Friboi” ao invés de acompanhar o pai durante a entrevista.
Entre os vários boatos que têm o filho do ex-presidente como alvo, o mais conhecido é o de que ele seria dono de um “castelo” (foto acima), quando, na verdade, o imóvel que ilustra a foto é a Escola Superior de Agricultura (Elsalq), de Piracicaba (SP). Outras postagens dão conta de que Fábio da Silva é dono de aviões, empresas e grandes lotes de terra.
Até o momento, seis internautas já foram convocados para depor, deles, apenas um ainda não compareceu: trata-se de Daniel Graziano, gerente administrativo e financeiro do Instituto Fernando Henrique Cardoso (iFHC). Roger Lapan, Adrito Dutra Maciel, Silvio Neves, Paulo Cesar Andrade Prado e Sueli Vicente Ortega já foram interrogados, e declararam que acreditavam serem verdadeiras as histórias a respeito das posses do filho de Lula e que “não pensaram” na hora de fazer as postagens.
O advogado de Fábio Luís Lula da Silva declarou que vai aguardar o resultado das investigações para então decidir se vai propor uma ação contra as pessoas que difamaram o seu cliente.
Comentario: Voce viu a foto, como a pessoa pode ser tão coxinha a ponto de achar que o filho do LULA seria dono desta mansão que é a sede da "Esalque" escola superior de agricultura de piracicaba.Eu tenho vários conhecidos que "repassavam" no Face, achando que estavam prestando um grande serviço contra a corrupção no pais, porem agora que o mensalão do PSDB não vai ser julgado os caras ficam quietinhos, não estão mais indignados! E nem se importam que estavam repassando mentiras.

quinta-feira, 17 de abril de 2014

O Paulistano poderá pagar multa se aumentar o consumo de água!

Alckmin estuda multa para quem aumentar o consumo de água na crise
Secretário estadual de Saneamento, Mauro Arce disse que programa deverá seguir lógica inversa do plano de bônus da Sabesp, que dá 30% de desconto para quem reduzir o consumo em 20%

17 de abril de 2014 | 13h 02
Fabio Leite - O Estado de S. Paulo

SÃO PAULO - Numa nova tentativa para evitar o racionamento generalizado de água, o governo Geraldo Alckmin (PSDB) deve anunciar no próximo mês a cobrança de multa para quem aumentar o consumo na Grande São Paulo. Segundo a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), 24% dos clientes abastecidos pelo Sistema Cantareira aumentaram o gasto em fevereiro, quando começou o plano de bônus para quem reduzir o consumo.
NOTÍCIAS RELACIONADAS
"É para esse conjunto que estamos preparando um programa novo de ônus", disse o secretário estadual de Saneamento e Recursos Hídricos, Mauro Arce, em entrevista à rádio CBN, nesta quarta-feira, 17. Segundo ele, a programa ainda está em fase de estudo e deve ser anunciado em maio. "Estamos indo para uma linha de que ônus será igual ao bônus em termos de percentual", disse.
No caso do plano de bônus, a Sabesp dá desconto de 30% na conta de água para quem reduzir o consumo em ao menos 20%. A medida começou em fevereiro para os consumidores abastecidos pelo Cantareira. Segundo o governo, 37% atingiram a meta e ganharam o bônus e outros 39% reduziram o consumo, mas não atingiram o patamar mínimo do programa.
Em abril, o plano foi expandido para quem recebe água dos sistemas Guarapiranga e Alto Tietê, cerca de 17 milhões de clientes. Os dois mananciais passaram a abastecer cerca de 1,6 milhão de imóveis que antes recebiam água do Cantareira, que enfrenta a pior seca na sua história e está com apenas 12,2% da capacidade. O cálculo é feito a partir da média de consumo registrada entre fevereiro de 2013 e janeiro de 2014.

"O que eu gostaria com o resultado desse plano de ônus é que ninguém fosse multado, que todo mundo não aumentasse o consumo", disse Arce. Segundo ele, o programa analisará casos especiais, onde o aumento do consumo de água é inevitável. "Evidentemente que vamos ter algumas ressalvas. Alguém que tenha motivo justo. Um casal que não tinha filho e veio quíntuplos, por exemplo. Vamos analisar caso a caso", afirmou.

Do site conversaafiada do jornalista paulo henrique amorim


URUBÓLOGA, E O
RACIONAMENTO TUCANO ?

Ela deve um apagão à Dilma
Liga o Vasco, navegante de longo curso, que acompanha da Marina da Gloria o fim da tarde no Pão de Açucar.

Um horror !

- Mas, diz que agora vai ter racionamento de água em São Paulo ?

- Vai ter não, Vasco. Já tem.

- Ué, mas não ouvi a Urubóloga protestar !

- Não. Quando falta água em rio tucano é culpa de Deus.

- E quando falta água em rio federal?

- É culpa da “política energética” da Dilma.

- Puxa, mas isso não é “jornalismo objetivo”.

- Ora, ora, Vasco. O objetivo dela você sabe qual é: é secar a fonte da Dilma.

- Por falar nisso, ansioso blogueiro. Ela não deve um apagão à Dilma ?

- Todo verão ela anuncia um apagão. Não se pode confiar nem na Hidrologia do PiG (*).

- Hidro … o que ?

- Deixa pra lá.

- Assim como a Ana Maria Braga sempre põe aquele colar exuberante para anunciar a alta do tomate … sempre que falta chuva na horta. E quando subir a mandioca, o que ela vai fazer ?

- Pergunta a ela, Vasco.

Pano rápido.

Não deixe de ler:
Comentário meu:
Para quem não acompanha o conversaafiada, urubóloga é a comentarista Miriam Leitão que nunca tem uma noticia boa para dar, ela foi escalada pelos patrões dela pra comentar sempre contra quando for um governo trabalhista, já quando for tucano esquece, boca de siri como diz meu pai.

Sobre os investimentos da copa de 2014 no Brasil

Tire suas dúvidas sobre os investimentos do país para a Copa
Série de perguntas e respostas esclarece de que forma o país se preparou para receber o Mundial de 2014
Por que fazer grandes eventos?
Os grandes eventos aumentam a visibilidade do país e trazem mais turistas estrangeiros. É uma oportunidade para incrementar a infraestrutura, antecipando obras e intervenções que eram necessárias mesmo sem a realização do evento. É o caso do investimento em mobilidade urbana e das obras nos aeroportos e portos.
Por que 12 sedes?
As 12 sedes são capazes de demonstrar a riqueza cultural e natural do país, além de democratizar os ganhos em infraestrutura, com os investimentos, e econômicos, com a distribuição dos turistas por todo o país.
Quanto o Brasil está investindo?
O plano de investimentos nas cidades-sede da Copa totaliza R$ 25,6 bilhões.
Em que o Brasil está investindo?
Mobilidade Urbana, Aeroportos, e financiamento para a modernização de estádios no primeiro ciclo de investimentos. Segurança, Telecomunicações e Turismo nos 2º e 3º ciclos. Além de políticas públicas potencializadas pela Copa, de Energia, Qualificação pelo Pronatec e Hotelaria.
Quem pagou pelos estádios?
Os estádios foram pagos com financiamento federal pelo Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES), recursos locais e privados. O valor total investido é de R$ 8 bilhões.
Qual a diferença entre financiamento e repasse?
Repasse significa verba a fundo perdido do Orçamento Geral da União (OGU). Ou seja, o dinheiro não volta. Já o financiamento funciona como um empréstimo, cedido pelo BNDES. O valor financiado será pago de volta aos cofres do banco.
Mas espera aí, isso está tirando dinheiro de outras áreas?
Não. A Copa não retirou verbas do orçamento de áreas como a saúde, educação, transportes e segurança pública. A verba para saúde e educação aumenta a cada ano. Por exemplo, o orçamento do Ministério da Educação subiu de R$ 86,2 bilhões em 2013 para R$ 89,1 bilhões em 2014. O orçamento da Saúde para o ano de 2014 será de R$ 106 bilhões, um aumento de 31% em relação a 2011.
Como os novos estádios podem ajudar o futebol brasileiro?
O torcedor encontra nas 12 novas arenas mais qualidade, conforto e segurança para assistir aos jogos do futebol brasileiro. Isso estimula a presença mais forte do público, beneficiando também os clubes. Somente as seis arenas inauguradas para a Copa das Confederações, por exemplo, levaram o campeonato brasileiro a bater recorde de bilheteria, com os novos estádios sendo responsáveis pela maior parte da arrecadação.
Quais os benefícios em mobilidade?
São 45 obras de mobilidade urbana que priorizam o transporte coletivo. Projetos que incluem corredores e vias para ônibus; estações, terminais e Centrais de Controle de Tráfego; BRTs (Bus Rapid Transport); VLTs (Veículo Leve sobre Trilhos). O governo investiu mais de R$ 8 bilhões nessas obras.
Quais os benefícios em portos?
Os investimentos associados aos portos chegam a R$ 587 milhões, para melhoria nos terminais em Fortaleza, Natal, Manaus, Recife e Salvador, e para alinhamento do cais em Santos (SP).
Quais os benefícios em aeroportos?
O projeto para a Copa inclui concessões de seis aeroportos: Brasília (DF), Campinas (SP), Guarulhos (SP), São Gonçalo do Amarante (RN), Galeão (RJ) e Confins (MG). Além disso, investimentos de R$ 6,28 bi para melhoria da infraestrutura aeroportuária em terminais de passageiros, pistas e pátios, e adequações operacionais. Os 21 empreendimentos de reforma e construção de terminais de passageiros aumentarão em 81% a capacidade de recepção de passageiros nos aeroportos da Copa.
E o preço das passagens? Não vai ficar muito caro durante a Copa? E os hotéis?
O governo criou um comitê interministerial para discutir e fiscalizar preços, tarifas e a qualidade dos serviços durante a Copa. Em caso de preços abusivos, os órgãos de defesa do consumidor podem agir. Sobre os hotéis, o Ministério do Turismo criou um site (http://hospitalidade.turismo.gov.br/busca.html ) para divulgar opções de hospegadens alternativas. Quanto às passagens, a Anac aumentou a malha aérea para estimular a diminuição dos preços.
Mas há voos suficientes? Tantos passageiros não vão criar um caos aéreo?
A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) autorizou um aumento de 1.973 novos voos entre 6 de junho e 20 de julho, com objetivo de reforçar a malha aérea e diminuir os preços das passagens durante a Copa do Mundo.
Quais os benefícios em telecomunicações?
O serviço em telecomunicações foi modernizado em todo o país, com investimentos de R$ 233 milhões da Telebras, para expandir a rede de fibra óptica da estatal, e R$ 171 milhões da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), para modernizar os procedimentos e a fiscalização. As 12 cidades-sede passaram a contar com tecnologia móvel 4G, até 10 vezes mais rápido que o atual.
Quais os benefícios em segurança?
Com R$ 1,9 bilhão, o governo investiu no controle de pontos de entrada no país, na integração de instituições e sistemas, além de ações de contingência e de defesa para o Mundial e para o território nacional. A modernização da infraestrutura de segurança ficará como legado para o Brasil depois da Copa. Alguns dos exemplos desse legado são os 14 Centros Integrados de Comando e Controle (dois nacionais e 12 regionais).
Por que estimular o voluntariado?
Para garantir que tudo funcione bem e que o foco permaneça na competição, é essencial a atuação dos inscritos no Brasil Voluntário, programa de voluntariado do Governo Federal. São eles os responsáveis por fazer todo o sistema de suporte a torcedores, turistas, moradores e visitantes funcionar.
Vai ser bom para o turismo?
Sim. Só na Copa das Confederações, com quatro vezes menos jogos e países classificados, o setor foi beneficiado com a movimentação de R$ 740 milhões. Além disso, foram investidos R$ 196 milhões na infraestrutura turística e na qualificação pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico (Pronatec Turismo).
A Copa gera emprego?
Levando em conta todas as áreas, 710 mil empregos permanentes e temporários serão criados.
E o que o Mundial ajuda na economia?
Um estudo desenvolvido pela assessoria técnica da presidência da Embratur mostra que o valor gasto por turistas brasileiros e estrangeiros durante os 30 dias de jogos da Copa do Mundo da FIFA 2014 deve chegar a R$ 25,2 bilhões. A previsão é de que o Mundial deverá agregar, até 2019, R$ 183,2 bilhões ao Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil, o que representa um aumento de 0,4% ao ano. De acordo com outra pesquisa, realizada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e Ministério do Turismo, a Copa das Confederações gerou um movimento de R$ 20,7 bilhões, sendo R$ 11 bilhões referentes a gastos de turistas, do Comitê Organizador Local (COL) e de investimentos privados e públicos e outros R$ 9,7 bilhões como renda acrescentada ao PIB brasileiro. A expectativa é de que a Copa do Mundo gere três vezes este valor, podendo chegar a R$ 30 bilhões.
Como o Mundial ajuda na divulgação da cultura brasileira?
O Ministério da Cultura anunciou investimento superior a R$ 50 milhões destinados para museus e revitalização de equipamentos escolhidos pelas cidades-sede. Além disso, o concurso Cultura 2014 abriu espaço para a contratação de 1.200 apresentações culturais para reforçar a programação cultural, em parceria com estados e municípios, no período da Copa. Também foi desenvolvido o projeto Vitrines Culturais, que selecionará 60 mil peças de artesanato para venda durante a Copa.
Existem famílias sendo desabrigadas por conta das obras da Copa?
Nenhuma pessoa ficou desabrigada para a construção de estádios ou para as intervenções de mobilidade urbana. As remoções ficam a cargo das prefeituras e/ou governos estaduais, buscando compensar e apoiar os atingidos. Veja o exemplo da Via Mangue, no Recife, onde as pessoas saíram de palafitas para casas com toda infraestrutura:
Como posso acompanhar tudo que é investido em Copa?
Acesse o site www.copa2014.gov.br e saiba mais informações sobre os investimentos e as notícias relacionadas à Copa do Mundo no Brasil.