domingo, 26 de outubro de 2014

Liberdade de imprensa x criminalidade

Liberdade de imprensa x Criminalidade jornalística, por Fábio de Oliveira Ribeiro


Passei alguns anos da minha vida observando a imprensa brasileira e reportando seus exageros, distorções, omissões e distopias no Observatório da Imprensa:
http://observatoriodaimprensa.com.br/authors/all_author/435/news
Mas ainda não tinha visto algo parecido com o que ocorreu nos últimos dias. Na reta final da campanha, por desespero de causa, a imprensa brasileira massacrou o PT e sua candidata. Sobre as acusações que pesam contra o PSDB e Aécio Neves nenhuma palavra, nenhuma indignação. A imprensa age como se quisesse comandar o Brasil ou, pior, como se fosse comandada pela oposição.
A imprensa no Brasil é livre. Mas não age com liberdade. Ela escolhe quem vai defender e quem pretende destruir. Os motivos que a levam a tomar partido, porém, ficam soterrados e raramente são discutidos. Nos últimos 12 anos o PT não casou nenhum dano econômico às empresas de comunicação. Nenhuma grande empresa do setor faliu, deixou de receber verbas federais de propaganda, de ter acesso aos créditos do BNDS, de imprimir livros do MEC, nem foi impedida de colocar em circulação o que bem entendiam. Mesmo assim, Dilma Rousseff foi tratada como se fosse uma criminosa qualquer. Qual foi o crime que ela cometeu?
Há apenas um crime que pode ser atribuído a Dilma Rousseff: mandar investigar toda e qualquer denuncia, independentemente dos envolvidos serem petistas, tucanos, doleiros, ministros, diretores de estatais, etc... Somente os jornalistas não foram investigados.
O que os donos de jornalistas temem? Ser investigados? A imprensa no Brasil tem um pé no crime organizado desde que os Ibrahim Abi-Ackel mandou apreender malotes da Rede Globo contendo cocaína e, na sequencia, foi massacrado pelo clã Marinho. Se a imprensa não é livre e age como ponta de lança do crime organizado (algo que ficou claro quando as relações entre o Cachoeira e seu "caneta" na Veja vieram a público), a CF/88 está sendo solapada.
O princípio da liberdade de imprensa foi colocado de ponta-cabeça. Ao invez de servir aos interesses da sociedade, serve apenas aos chefes de quadrilhas. Impossível deixar de ligar o PSDB à estas quadrilhas, pois o partido raramente é atacado pela imprensa. Na reta final da campanha não vi uma só manchete desfavorável a Aécio Neves. Até mesmo a falta de água em São Paulo vai sendo discretamente creditata na conta do governo federal.
Do jeito que as coisas estão, não podem ficar. Reeleita, Dilma tem que meter o dedo nesta ferida purulenta. As ligações entre as empresas de comunicação e a criminalidade dos potentes deve ser minuciosamente investigada pela PF. Isto é o mínimo que o Estado deve fazer para preservar a validade e eficácia de sua própria Constituição. Caso contrário, a inversão de valores se tornará a regra e passaremos a viver não num Estado de Direito e sim no maior Narco Estado Jornalístico jamais construído na história da humanidade.
 
Do site do LuisNassif

Nenhum comentário: