quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Falta o Supremo, o defensor da Constituição

Quantos Marco Aurélio há no Supremo?
publicado 31/08/2016
Jana-2.jpg
O Supremo merece assistir a Lucia di Lammermoor, diriam os melômanos (Créditos: Edílson Rodrigues/Agência Senado)
O Golpe maculou irremediavelmente todas as instituições.
Menos uma.
Supremo.
O Supremo ainda nao julgou o Golpe.
Estabeleceu os ritos do Golpe, mas nao considerou se é Golpe ou não.
Como disse o guerrilheiro - e hoje Anastasia do Cerra - José Anibal, que Golpe é esse se o Supremo o ratifica?
O Supremo não o ratificou ainda.
O Supremo, como se diz, é o último que pode errar.
Quem sabe, o Supremo votará com o Ministro Marco Aurélio?
Assim como o Ministro Fux declarou-se impedido de votar uma ação que envolve o André Esteves, o Ministro (sic) Gilmar (PSDB-MT)enquanto não for impeachado, se declarará também impedido - pelo conjunto da nefasta obra - de votar a substância do processo do Golpe.
Em seu bravo pronunciamento, a Presidenta disse que não foi ao Supremo antes para não esgotar a instância do Senado.
Mas, na opinião desse ansioso blogueiro, esse foi um dos mais desastrosos equívocos de seu invariavelmente derrotado advogado, o zé Cardozo.
Ele teve, cedo, em cima de sua mesa, um trabalho que dava base a uma consulta ao Supremo,para olhá-lo, no olho, sobre a constitucionalidade da "lei" que sustenta o Golpe.
Ele preferiu não ir.
Como preferiu dar à Policia Federal o poder irrestrito de se tornar a sede da sedição!
Onde já se viu qualquer delegado ter acesso a informações de inteligência que deveriam ser restritas ao Ministro (e à Presidenta)?
zé se gaba de nao ter chefiado a PF.
Polícia sem chefe só na ditadura.
Quem não tinha chefe era o delegado Fleury, que saía por aí matando quem quisesse e não tinha chefe.
Vamos ver se o Dr. Daiello - que é DG da PF do Golpe como foi do zé - agora não tem mais chefe!
Vamos ver se a PF do Dr. Daiello agora vai invadir a sede da Presidência da Republica, em São Paulo, sem que o "chefe" saiba.
Vamos ver se o delegado Ancelmo, agora, no dia 31 de agosto de 2016, vai pedir o indiciamento do Traíra, tão invocado quanto o Aecím, com os mesmos argumentos que a Globo considerou pífios.
O zé chora, porque perdeu todas - porque foi encurralado pela Policia sediciosa!
E entre seus inúmeros equívocos - que a brilhante peroração final, nessa terça-feira 
30 de agosto não apaga - figura ter adiado, até hoje, a ida ao Supremo.
O ansioso blogueiro confia no Supremo.
Porque lá - veja na aba "não me calarão" - obteve vitórias que definem pontos que marcam, na jurisprudência, o amplo espaço da liberdade de expressão.
O Supremo não é o Senado.
O Supremo não é o Gilmar!
Publicado no conversa afiada do jornalista Paulo Henrique Amorim
Nota: Passando o golpe no senado a presidenta ainda deve recorrer ao STF que é o defensor da constituição do Brasil ai veremos realmente o quanto as forças do golpe estão encasteladas no sistema.

Nenhum comentário: