sábado, 29 de abril de 2017

Dilma e Lula criticam Michel Temer em ato pela industria no polo Naval de Rio Grande

Em discurso de defesa da indústria naval, Lula e Dilma criticam Temer

SAB, 29/04/2017 - 16:25
ATUALIZADO EM 29/04/2017 - 16:28

"Eles poderiam ter disputado eleição, mas já tinham perdido quatro vezes. E cada medida é uma continuação do golpe", disse Dilma.No Rio Grande do Sul, Lula emendou: "eles estão destruindo tudo que Getúlio Vargas fez a nível de direitos trabalhistas"
 
                    
                   Dilma e Lula em Rio Grande (RS) - Foto: Ricardo Stuckert
 
Jornal GGN - Os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff participaram, neste sábado (29), de um ato em defesa do polo naval, na cidade de Rio Grande, no Rio Grande do Sul. Em discurso, Dilma e Lula ressaltaram que a crise na região é resultado "de mais uma etapa do golpe".
 
"O golpe não acabou! O fim do polo naval, que vai contra a soberania nacional, é mais uma etapa do golpe!", exclamou Dilma Rousseff. "Eles poderiam ter disputado eleição. Mas eles já tinham perdido quatro vezes. E cada medida é uma continuação do golpe", ressaltou a ex-presidente, fazendo referência ao governo de Michel Temer, na aliança entre o PMDB e o PSDB.
 
 
                      
 
Também em discurso forte contra as medidas econômicas do governo Temer e as elites brasileiras, Lula afirmou: "Eu não consigo encontrar explicação para o ódio  contra o PT. Achava que o ódio era contra mim, que sou nordestino, não fiz faculdade. Mas aí chegou uma presidenta estudada e o ódio foi maior. Porque a elite deste país ainda trata mulher como objeto de cama e mesa".
 
"Uma nação não pode ser governada por alguém que não sabe governar. Não pode ser governada por alguém que não entenda a alma do nosso povo. Que não conheça a diversidade do Oiapoque ao Chuí", seguiu Lula, sobre Temer. "A Petrobras não é apenas uma empresa produtora de petróleo. É um patrimônio tecnológico deste país. Eu assumi o compromisso de erguer a indústria naval brasileira. Porque o país tem que ter um projeto de desenvolvimento. Viviam dizendo que a 'metade sul' estava falida. E eu não entendia. E eu vim ver de perto e vi que era uma região rica", afirmou.
 
Sobre a localidade, o ex-presidente exclamou: "Esses caras deram um golpe na Dilma dizendo e iam melhorar o país e eles só pioram o país. Mas eles estão destruindo tudo que Getúlio Vargas fez a nível de direitos trabalhistas".
 
          
 
Organizado pela Frente Brasil Popular, o evento com cerca de 30 mil pessoas defende o setor, que perdeu 17 mil empregos nos últimos três anos, fragilizando a economia local. Entre as pautas, está a interrupção dos trabalhos no estaleiro da região. 
 
O polo naval foi responsável pelo crescimento de 12% da economia na região, quadruplicou a arrecadação e dobrou a renda. Desde que enfrenta dificuldades, uma das maiores para a cidade de Rio Grande foi a demissão de 3,2 mil trabalhadores da Ecovix, em dezembro do último ano. 
 
"O Polo Naval foi construído com base numa visão de soberania. Tudo que pode ser construído no Brasil, deve ser construído aqui. O Polo Naval trazia para nós um caminho de esperança, de um Brasil soberano, que está sendo destruído", completou Dilma.
 
Durante o discurso, o ex-presidente Lula aproveitou para mencionar a investigação que tramita contra ele na Vara Federal de Curitiba, no âmbito da Operação Lava Jato. Ao explicar que durante a sua gestão, ele assumiu o compromisso com as indústrias brasileiras, incluindo a naval, comentou: "Estou preocupado que o Moro deve estar vendo meu discurso, porque não tá me julgando por corrupção, mas pelo jeito de governar este país".
 
E emendou: "Mas, como disse Fidel Castro, a história me absorverá".

Publicado no GGN do jornalista Luis Nassif

Nenhum comentário: